Santo Antão: Turismo está com “boa cara” no Planalto Leste, segundo a Amupal Leave a comment

Porto Novo, 05 Nov (Inforpress) – O turismo conheceu, nos últimos anos, “um forte incremento” no Planalto Leste, em Santo Antão, zona por onde passam, quase diariamente, grupos de turistas que procuram esta ilha, nesta altura do ano.

Quem o diz é a presidente da Associação das Mulheres do Planalto Leste (Amupal), organização que abriu, há um ano, uma unidade turística em Água das Caldeiras, nesse planalto, que tem contribuído para o crescimento da actividade turística nesse planalto, situado acima dos mil metros de altitude, na confluência dos três municípios santantonenses.

Josefa Sousa confirma que “o turismo está a desenvolver-se bastante” no Planalto Leste, onde já existem várias unidades de restauração e alojamento pertencentes a operadores locais, que já olham com “boa cara” o turismo nessa parcela da ilha de Santo Antão, avançou.

No Planalto Leste, que tem sido muito procurado pelos turistas, sobretudo durante a época alta (Outubro a Maio), estão localizados dois parques naturais, o de Moroços e o da Cova/Ribeira da Torre/Paul, este considerado o maior centro de biodiversidade de plantas endémicas em Cabo Verde, com 36 espécies.

O Governo garante que está em curso no Planalto Leste “um conjunto de medidas” visando a valorização turística deste património ambiental, que tem sido alvo “nos últimos anos”, de “uma intensa actividade ecoturística.

Numa iniciativa do Ministério da Agricultura e Ambiente e de outros parceiros, está a ser preparada a candidatura de Santo Antão a património mundial da agricultura, no âmbito dos Sistemas Importantes do Património Agrícola Mundial (SIPAM), que integra uma parte da floresta do Planalto Leste.

O SIPAM é uma iniciativa do Programa das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), criado em 2002, que reconhece e promove sítios ricos em biodiversidade e recursos genéticos que representam o sustento das comunidades.

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, já admitiu a intenção do Governo em criar as condições para que esta reserva florestal, com mais de 150 anos de existência, seja elevada à condição de património natural da humanidade, pela sua “importância no contexto da biodiversidade nacional e mundial”.

Os autarcas e operadores turísticos de Santo Antão têm estado, também, a defender a classificação do Planalto Leste e outras localidades da ilha, como Fontainhas, Corda, Tarrafal de Monte Trigo, como património natural da humanidade.

JM/ZS

Inforpress/Fim

Fonte: Inforpres

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *